RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO

Enquadramento
A equipa de RSI (Rendimento Social de Inserção) de Monção/ Melgaço surgiu no seguimento de um protocolo celebrado entre o CENSO (Centro Social, Cultural e Recreativo de Messegães, Valadares e Sá) e o CDSS (Centro Distrital de Segurança Social) de Viana do Castelo, que visa o acompanhamento de 100 processos familiares.

Conceito
O Rendimento Social de Inserção (RSI) consiste numa prestação incluída no Subsistema de Solidariedade Social e num Programa de Inserção, de forma a assegurar às pessoas e seus agregados familiares recursos que contribuam para a satisfação das suas necessidades básicas e para o favorecimento de uma progressiva inserção social, laboral e comunitária, respeitando os princípios da Igualdade, Solidariedade, Equidade e Justiça Social. A prestação do RSI tem natureza pecuniária, carácter transitório e montante variável e o Programa de Inserção consiste num conjunto de acções destinadas a promover a progressiva integração social dos beneficiários da prestação.

Objectivos
De um modo geral, a intervenção da equipa tem como principal finalidade a prevenção e a reparação de situações de carência e desigualdade social, bem como, de dependência e exclusão, através da integração e promoção comunitária das pessoas e o desenvolvimento das suas capacidades e competências. Especificamente, pretende-se:
  • Apoiar na construção de um projecto de vida próprio, assumindo os indivíduos um papel activo e interveniente, promovendo a autonomização e apelando à responsabilização na construção do mesmo;
  • Incidir na elevação pessoal, promovendo, aspectos como a motivação, a dignidade pessoal e as capacidades socioprofissionais, entre outros, como suporte para o sucesso da integração;
  • Assessorar e orientar as famílias, desenvolvendo actividades em vários eixos, nomeadamente, gestão doméstica, saúde, emprego/ocupação, educação, gestão da dinâmica familiar.

Eixos de Actuação Prioritária
  • Potenciação dos factores de protecção de cada família, enquanto medida preventiva;
  • Intervenção precoce, enquanto estratégia eficaz para minimizar situações de risco/perigo;
  • Abordagem local/comunitária, através das iniciativas e serviços locais (Câmara Municipal de Monção, Juntas de Freguesia, Escolas, Gabinete de Inserção Profissional, Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Monção, etc.), centrados na comunidade e nos seus recursos e promotores de desenvolvimento social.
Público-Alvo
  • Indivíduos ou famílias em situação de grave carência económica, pertencentes à zona geográfica do concelho de Monção e Melgaço, que cumpram os requisitos e condições de atribuição. O universo dos agregados beneficiários apresenta diferentes tipologias de problemas, bem como a vivência destes, que se traduzem no quotidiano das famílias com menor ou maior gravidade, de acordo com um vasto conjunto de factores.
Estrutura da Equipa
Trata-se de uma equipa técnica a tempo inteiro constituída pelos seguintes elementos:
  • Um(a) Psicólogo(a).
  • Um(a) Técnico(a) Superior de Serviço Social.
  • Três Ajudantes de Acção Directa.
A actuação destes profissionais desenvolve-se de acordo com uma metodologia de trabalho interactiva, sistemática e multidisciplinar, privilegiando a adopção dos métodos dinâmicos que se adequem à realidade do sistema familiar e comunidade em que se intervêm, que se concretiza através de atendimentos, visitas domiciliárias, acompanhamentos.

Actividades Desenvolvidas
De seguida salientam-se algumas das principais acções desenvolvidas nas diferentes áreas (Organização Doméstica; Economia Familiar; Educação/Ensino; Saúde; Desenvolvimento Pessoal e Social; Emprego/Formação Profissional; Habitação), após o levantamento das necessidades prioritárias junto dos elementos que integram os agregados familiares:
  • Orientação na organização e gestão domésticas, bem como transmissão de conhecimentos acerca de higiene pessoal, dentária e alimentar;
  • Orientação na gestão dos recursos financeiros e na aplicação do rendimento familiar, no pagamento atempado das despesas fixas mensais, e no requerimento de apoios complementares;
  • Sensibilização dos pais para o interesse e responsabilidade no percurso escolar dos filhos e encaminhamento para frequência das diferentes respostas educativas (A.T.L., de Creches, de Jardins-de-infância, etc.);
  • Orientação nos cuidados básicos de saúde e aquisição de comportamentos saudáveis; consciencialização e encaminhamento para o tratamento de dependências;
  • Acompanhamento de situações de violência doméstica e outras situações de risco;
  • Transmissão de conhecimentos sobre direitos e deveres e encaminhamento e acompanhamento a serviços da comunidade;
  • Apoio à melhoria do alojamento e orientação em acções de realojamento e obras de recuperação;
  • Motivação para o desempenho de uma actividade profissional, apoio na procura activa de emprego e orientação para a frequência de cursos de formação profissional;
  • Acompanhamento psicológico e psicopedagógico e realização de grupos de orientação escolar e profissional aos elementos pertencentes aos agregados familiares beneficiários;
  • Realização de grupos de desenvolvimento pessoal e social e actividades promotoras novos hábitos de comunicação, comportamentos, atitudes e estilos de vida saudáveis, assim como de dinâmicas familiares;
  • Desenvolvimento de actividades lúdico-pedagógicas com as crianças e jovens das famílias beneficiárias:
    • Intercâmbios de Férias com crianças e jovens beneficiários;
    • Ateliers temáticos (ex: Actividades Aquáticas; Jogos Tradicionais; Artes Plásticas; Jogos Tradicionais, de Cooperação e Sem Fronteiras; Visitas de Estudo);
    • Comemoração de dias temáticos e efemérides (ex: Carnaval, Páscoa, Dia Mundial da Criança, Natal, etc.).